Tão Deserto Quanto Eu

MONOCINE - TAO DESERTOForam necessários meses em estúdio para gerar o álbum “Tão Deserto Quanto Eu”, o primeiro da promissora Monocine, banda mineira formada por Fábio Della (vocal e guitarra), Felipe Brant (baixo), Hamilton Soares (teclados) e Nenel Neto (bateria).

Radicado em Belo Horizonte há cinco anos, Fábio Della é catarinense e ficou conhecido por seu trabalho à frente do grupo Aerocirco. É ele quem assina as 10 composições do disco, gravado nos estúdios Mix e Ultra, entre novembro de 2014 e março deste ano.

Sem pedir licença, “Deixa Eu Entrar” abre os trabalhos com pegada rock e é seguida pela ótima “Tão Deserto Quanto Eu”, que dá nome ao álbum. “Somos” tem levada sexy de baixo e bateria e fala sobre erro, força, entrega, amor e dor.

Guiada pelo Harmonium Organ – o mesmo de “Cry Baby Cry”, dos Beatles -, a arrepiante balada “Antes Tudo Fosse Assim” retrata o período em que a filha do vocalista ficou entre a vida e a morte no hospital. O instrumental passa os sentimentos de medo da perda e de vibração pela cura.

“Há de Ser” é uma porrada sonora, e “Enquanto Nós” fala do quanto o ser humano precisa viver junto de quem ama. É triste nas estrofes e pra cima nos refrões, quando fala de como nos sentimos quando estamos juntos.

As próximas três músicas – “Se é Sincero”, “Lembro de Você” e “Fábrica dosVivos” – têm andamento acelerado e perfeita simetria entre guitarra, baixo e bateria, uma das marcas da banda. O lindo country/rock “O Peso é Leve” fecha o álbum com chave de ouro e com direito a harmônica e lap steel em várias partes da canção.

Sobre o nome do disco, Fábio Della é enfático. “É como encaro a música, como um deserto, que seja gelado quando for frio, e muito quente quando for calor. Se for para gritar que se grite, e que o meu grito distorcido soe bem. Que a canção seja uma poesia e que eu a declame, pois estou cheio dessas músicas que emburrecem”. Um álbum forte, verdadeiro e, principalmente, vivo, em que arranjos e letras estão para as músicas como a alma está para o corpo. (Texto de Nenel Neto)

Enquanto TÃO DESERTO QUANTO EU era um projeto embrionário, a Monocine foi convidada para participar da coletânea em homenagem ao 40 anos dos Engenheiros do Hawaii. A versão de Refrão de Bolero parte de um simples dedilhado de guitarra e termina como um explosão tão intensa quando um soco, vale a pena conferir AQUI.
O ep AR COMPRIMIDO, traz as primeiras quatro faixas gravadas para TDQE. A banda lançou as quatro músicas do EP separadamente e sequencialmente com intervalos de 15 dias. O objetivo foi apresentar a banda ao seu público a conta gotas, com toda singularidade que cada música merece.
Tão Deserto Quanto Eu é a consolidação de um ano de trabalho, somando mais seis músicas às quatro lançadas no AR COMPRIMIDO. Como se pode ouvir, o CD começa sem pedir licença cantando no mais alto tom DEIXA EU ENTRAR e terminando num COUNTRY ROCK inebriante chamado O PESO É LEVE.

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest



No Response

Deixe um comentário


Sem comentários no momento..

Responda