CARNAVAL E CANALHICE

Eu vinha escrevendo sobre as letras do novo CD da Aerocirco – Invisivelmente, mas resolvi voltar um pouco no tempo e falar sobre CARNAVAL E CANALHICE, música que compus com Jason Judson, baixista da Aerocirco na época que estávamos compondo pro CD Liquidificador. Esta letra escrevi quando surgiu o mensalão, vocês devem lembrar, aquele esquema de repasse de dinheiro para os deputados votarem a favor dos projetos de leis do governo.

Existe uma pessoa que foi muito citada na época e considerada pelo Ministério Público como o chefe do mensalão. Esta pessoa se chama José Dirceu, era um deputado e foi cassado na época.

Agora eu lendo a letra me parece que tudo se repete, pois a Dilma quer ser eleita, faz de conta que não sabe de nada a ponto de colocar este figura José Dirceu trabalhando na sua campanha, diz nas suas entrevistas que não sabe quem vai trabalhar com ela no seu governo, mas…vocês acham mesmo que esse José Dirceu, cassado no passado, trabalha nessa campanha sem levar nada depois? Vocês acham que Dilma, Lula e toda sua turma não prometeram nenhum cargo pra ele? Acham que eles não sabem de nada mesmo e que são sérios?

A coisa vai muito mais além, ela me parece um fantoche na mão do Lula, falando e fazendo tudo que ele manda, já que ele não pode se candidatar pela terceira vez, foi a forma que ele arrumou de ficar no cargo por mais 4 anos e já começaram com mais falcatruas como se vê ai na quebra de sigilo na Receita Federal!

É…parece que essa letra foi feita ontem!
Vamos a letra e votem consciente!

CARNAVAL E CANALHICE
Letra: Fábio Della
Música: Fábio Della e Jason Judson

Não vê ninguém, não pode fazer nada
E ficam sob as barbas de quem?
Um vôo cego em meio à palhaças
É um palhaço mudo e sem lei

Inconsequente pensa ser quem
O seu discurso que era do bem
Jogou com a sorte de quem não tem nada
E a vida segue esperando alguém

Carnaval e Canalhice

Mais uma vez lá vem o blá, blá, blá
Começa o carnaval outra vez
Muito prazer e muito o que calar
Pra não vazar e ninguém saber

Como quiser eu danço e canto
Sou como um tubarão tão branco
Finge de morto e diz não saber nada
Como um tosco enrosco outra vez

Carnaval e Canalhice

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest

O Resto Tanto Faz

Essa é uma das minhas preferidas do novo CD, não só pela história por trás dela mas pelo arranjo que a banda conseguiu fazer além das timbragens. Nessa eu gravei a voz, piano e a orquestração, já o Maurício gravou os violões, guitarras e backings, o Lange o baixo e backings e o Henrique bateria.

Sobre a história da letra eu devo muito ao Dary, ao Anderson, ao Xexé e ao Maurício, rs, vamos aos fatos! Era uma vez meu amigo Dary Jr (Terminal Guadalupe) que me apresentou Anderson Lee (RockNova) que fez uma parceria com a Aerocirco e nós fomos até BH pra dois shows, uma na sexta (23) e outro no sábado (24) de outubro de 2009. As coincidências continuam quando o show de sexta-feira foi cancelado quando já estávamos em BH e de repente resolvemos ir ao Jack bar graças ao Xexé e toda a raça, lá eu conheci a Marcelle e com um empurrãozinho do Maurício a história começou, me apaixonei, começamos a namorar, estamos juntos e é pra ela que fiz o Resto Tanto Faz já que a letra fala bem como foi a noite no Jack e como estamos desde então!

abração à todos

O RESTO TANTO FAZ
Letra é Música: Fábio Della

Estava onde era pra estar
E vc com seu olhar
Fez congelar as horas
Do lugar

Pensei sermos iguais
Mas pouco importa pois
As diferenças fazem
Até melhor

Tudo é tão simples e é simples complicar
Eu só queria poder estar
Sempre por perto, o resto tanto faz

Tanto pra conversar
Procuramos ficar
Somente nós e o resto
Tanto faz

Tudo é tão simples e é simples complicar
Eu só queria poder estar
Sempre por perto, o resto tanto faz

Não não tive medo
Nem você segredos
E nem foi em vão

Já não é tão longe
Olhando por onde
Passa o coração

Não não tive medo
Nem você segredos
E nem foi em vão

Já não é tão longe
Olhando por onde
Passa o coração

O resto tanto faz
O resto tanto faz
O resto tanto faz
Por tanto que se faz

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest

ONTEM

Essa música é uma das minhas preferidas desse novo cd, não só pelo arranjo mas principalmente pelo significado da letra. Eu lembro bem quando a compus, eu estava em Curitiba indo pro meu tradicional futebol de terça-feira com os amigos, eu parei meu carro no estacionamento de um supermercado para esperar meu amigo Gustavo Henrich que ia de carona comigo, lá mesmo me veio a letra e a melodia praticamente inteira e eu registrei no gravador do meu celular, aliás foi nesse celular que registrei praticamente todas as composições de Invisivelmente.

Na verdade eu já vinha passando os dias e as noites pensando muito nas mudanças que estavam por vir, principalmente na mudança pra São Paulo, na saída de Curitiba, na gravação do novo cd, na grana, ou seja, eu vivia um caminhão de dúvidas, mas uma coisa eu tinha certeza, a mudança era inevitável.

Muito achavam ser por bem eu continuar no meu trabalho na época, seria um risco muito grande largar tudo pra essa mudança, eu gostava muito dele mas eu sentia como se eu vivesse apenas parte de mim, eu precisava arriscar pela banda, mesmo que não surtisse o efeito que eu esperava e eu tinha certeza, assim como ainda tenho hoje, que no final eu não me daria mal…Por que tanta certeza? Por que não existe um final.

Bom é isso, ai vai a letra! Estou muito feliz com a quantidade de acessos e espero que vocês me ajudem a divulgar esse blog, é muito bacana ver tanta gente procurando saber o que falamos nas nossas músicas. Qualquer coisa, me adicionem no twitter pra acompanharem on-line o blog – http://www.twitter.com/fabiodella

Grande abraço pra todos

ONTEM
Letra e música: Fábio Della

Ontem eu menti sobre mim mesmo
Eu não sei qual a razão
Eu não sei qual a razão

Ontem eu perdi o que era mesmo?
Acho que era em vão
Acho que era em vão

Mas bem no fim
Eu não quero ser assim
Um pedaço só de mim
Quando acham ser pro bem
Eu entendo que depois
Pode ser que me de mal
Mas no fundo eu acredito
Que não existe um final

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest

O REI

Galera, queria agradecer muito a todos que foram no lançamento do CD em Floripa, que ocorreu na Célula, foi um show cheio de energia boa, vimos todos cantando todas as músicas incluvive todas do nosso novo CD e com esse clima que quero falar da terceira música do show, que faz parte no disco novo, O REI.

Essa é a história de vida do meu Pai, uma figura que eu amo muito, que tem um coração gigante e sempre fez de tudo pra ver a família forte, unida e vencedora. Ele é minha referência de luta e seriedade, por isso fiquei muito feliz em ter conseguido colocar em uma música aquilo que é mais marcante na vida e personalidade dele. A música segue o mesmo estilo de Tão Rainha, tanto na batida (ritmo) quanto nas frases, inclusive tem uma ligação entre algumas dessas frases. Na primeira frase de O REI eu canto – ” Foi com mesmo coração, que falei em outra canção”, que neste caso me refiro a Tão Rainha, música que fiz em 2005 pra minha mãe, que canto – ” Vai mesmo com um coração maior, que seu carinho sutil faz”, ou seja, é com o mesmo coração cheio de amor e carinho que falei de minha mãe que falo dele!

Eu cou comentar o que significa cada frase da letra na própria letra. Vejam abaixo:

O REI
Letra e Música: Fábio Della

Foi com o mesmo coração
Que falei em outra canção

As horas, os dias pareciam ter bem mais
Infinito, farto, fazendo tanto que eu nem sei

(desde minha infância meu pai conta coisas que ele fazia, que a gente ria muito ao perceber que todas as coisas não cabiam nas 24h do dia…isso sempre foi motivo de bricadeiras nos nossos almoços em família)
_______________________________________

E esse mesmo coração
Fez mudar a direção

Passou a vida ao lado dela e foi atrás
Decidido, forte e veio os 6

(ele conta que pra casar com minha mãe ele teve que mudar de vida, parar de jogar poker, coisa que se fazia muito no interior de SC onde ele conheçeu minha mãe, por isso que me refiro em mudar a direção. Depois viemos nós, os 06 filhos, e como pra criar essa galera toda ele teve que trabalhar muito, ser muito forte, cantei essa estrofe)
______________________________________


E de repente em vão
Como quem tem razão
Mostrou seu lado doce
E muito mais capaz
Divertido, vivo
Foi coroado o próprio rei

(Em um momento da vida ele resolveu se aposentar, mudou sua forma de encarar a vida e vive-la com muito mais calma, com mais alegria, e mostrando uma pessoa carinhosa que não aparecia antes)

________________________________________
Hoje sete da manhã
Um café na calma vã

O dia segue lento, farto de uma paz
Colorido, cheio, o pássaro, o cachorro e o Rei

(a gente presencia nos dias de hoje uma rotina dele cuidando do Astor (nosso cachorro) e do Pavaroti (nosso passarinho), isso depois de acordar, fazer seu café, ler seu jornal)
______________________________
Meio dia, hora cristã
Vem em curvas guardiãs

Num repetido enredo como um ritual
convida a quem quer bem, a se deitar também

Outra coisa que sempre acontece, depois de cuidar o Astor e do PAvaroti ele começa tomar seu vinho, sobe pro almoço já num clima de festa, alegre, e sempre convida minha mãe pra dormir com ele, numa frase que se repeta há 38 anos…”vamos encostar os cadáveres”, como uma forma carinhosa de chamar minha mãe pra se deitar com ele depois do almoço.
______________________________

E foi assim me vi crescer,
muito mais meu coração
Você mostrou que a vida é pra valer
nas dores e no amor também

E foi o filme que vivi
nos segundos que sofri mudei
Você veio e me abraçou
mostrando que o amor falou

O refrão eu conto a minha história ao lado dele, que é a mesma que vivi ao lado dela (rainha), enfim, uma história de amor, gratidão e apoio!

espero que tenham gostado!
Della

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest

INVISIVELMENTE

Olá, hoje, 01/jul, o CD atingiu quase 2000 downloads, fazendo apenas 10 dias que liberamos no site, e o que mais empolga é ver que pessoas de todos os cantos do Brasil estão baixando, até mesmo do exterior, enfim, estamos muito empolgados mesmo! É nesse clima que resolvi escrever sobre mais uma música desse CD e dessa vez será sobre INVISIVELMENTE! Explicar algumas coisas fazem elas perderem o brilho, mas vale a pena eu começar e depois esperar, assim como foram os primeiros posts, o comentário de vocês.

Invisivelmente é a tentativa de traduzir um sentimento, se é que se pode dizer que é UM sentimento e não vários, que faz eu me mover, acordar, chorar, rir, esquecer, ou seja, querer viver! Eu nunca soube lidar direito com a expontaniedade da alegria estonteante de uma grande conquista ou de uma tristeza profunda de uma perda, tudo pra mim parecia ser forte porém passageiro, onde eu não me permitia curtir aquilo como algo eterno, mesmo sabendo que aquilo seria eternizado na minha memória e na minha mudança de rumo. De fato pra mim as conquistas ou perdas de algo sempre vieram acompanhadas de um segundo passo que eu tinha que dar e esse segundo passo tomava conta do meu sentimento novamente e assim é até hoje. Algumas vezes tentei entender se eu estava em depressão, se eu era um bi-polar, se eu era irresponsável pelas constantes mudanças de rumo na minha vida ou se tudo isso era a busca pela felicidade!

Esse sentimento que tento entender é SIM a busca pela felicidade, é como a ação hormonal que faz sentirmos muito prazer quando chegamos no que queremos, mas também nos deixa triste quando nos frustramos, porém o principal desse sentimento é que ele é um poço de forças que nos faz continuar sonhando e lutando sempre, eternamente, COMO SE EU FOSSE O ÚNICO, CORRENDO MAIS QUE O MAIS RÁPIDO, SENDO MAIOR QUE O MÁXIMO, INVISIVELMENTE!

INVISIVELMENTE
Letra e Música: Fábio Della Giustina

Todas as vezes parece não ser bem o meu lugar
Quis o calor, depois frio, quis o chão, depois quis o mar

Mudo, mudo, a voz, a cor, o lugar
Minha metade é vontade a outra é querer mudar

Como se eu fosse o único
Correndo mais que o mais rápido
Sendo maior que o máximo
Invisivelmente

Antes que tudo se acabe, um salto de quem não dá
Veio o que ao ver me prende e que me faz apaixonar

Mudo, mudo, tenho o que quero lembrar
Que toda minha vontade me trouxe onde eu quis chegar

Como se eu fosse o único
Correndo mais que o mais rápido
Sendo maior que o máximo
Invisivelmente

Antes que tudo se acabe, um salto de quem não dá
Veio o que ao ver me prende e que me faz apaixonar

Mudo, mudo, tenho o que quero lembrar
Que toda minha vontade me trouxe onde eu quis chegar

Como se eu fosse o único
Correndo mais que o mais rápido
Sendo maior que o máximo
Invisivelmente

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest

ULTIMA ESTAÇÃO

Começo esse POST agradecendo muito a todos por tudo que tem feito pela Aerocirco, principalmente em ver tanta coisa boa acontecendo e com a ótima repercussão com o lançamento do novo CD INVISIVELMENTE (www.aerocirco.com.br). Não poderia ser diferente, escolhi mais uma música do novo CD e desta vez será ULTIMA ESTAÇÃO, faixa que abre o CD.

A primeira frase desta letra me coloco dentro de um vagão de um trem, assintindo pela janela tudo que acontece comigo, como se eu tivesse o poder de ver o que acontece comigo mesmo! Minha vida é exatemente assim, cheia de questionamentos, chegando a me perguntar se ela teria chegado ao fim, se a vida teria chegado pra mim e dito…”esta é a última estação”…mas não, “o tempo explicou que não, espere a outra estação”.

Esta letra é isso, é a vida falando pra mim mesmo ou pra quem quer que se veja nela, como os avisos e as curvas feitas a bordo desse trem que não sabemos quando será a última estação. Ninguém sabe e só saberemos se é a última estação quando estivermos lá, então é melhor cantar o refrão….

…CADA UM SEJA COMO FOR, NÃO LHE FAÇA NENHUM FAVOR – seja lá quem vc é, não viva as sua trajetória como se estivesse fazendo um favor, viva por vc mesmo

…NEM ENTENDA O QUE SE EXPLICOU – nem tente seguir o que os outro dizem

…CADA UM SEJA COMO FOR, SÓ LHE FAÇA MAIS UM FAVOR, UMA HISTÓRIA DE UM GRANDE AMOR – cada um seja como for, se for pra fazer algum favor, faça apenas um, viva por um grande amor, seja lá ele por alguém, sonho ou por qualquer outra coisa, mas viva com amor, é a única coisa que vale a pena!

É isso, espero que vcs tenham curtido!

ÚLTIMA ESTAÇÃO
Letra e Música – Fábio Della Giustina

Se as estrelas caíssem aos poucos até o chão
Na janela borrasse as imagens que elas são

A história chegou ao fim?
Ela veio e levou de mim?
Mas o tempo explicou que não
aaa, aaa
Espere a outra estação

São mil trilhos, diversos, dispersos, mas esse não
Veja lá, veja bem, não tem como, não dar razão

A história não tem um fim
Ela veio e deixou pra mim
O que eu achava nem existir
aaa, aaa
É como a última estação

Cada um seja como for
Não lhe faça nenhum favor
Nem entenda o que se explicou
aaa
Cada um seja como for
So lhe faça mais um favor
Uma história de um grande amor

A história não tem um fim
Ela veio e deixou pra mim
O que eu achava nem existir
aaa, aaa
É como a última estação

Cada um seja como for
Não lhe faça nenhum favor
Nem entenda o que se explicou
aaa
Cada um seja como for
So lhe faça mais um favor
Uma história de um grande amor

aaa, aaa
Essa é a última estação

Cada um seja como for
Não lhe faça nenhum favor
Nem entenda o que se explicou
aaa
Cada um seja como for
So lhe faça mais um favor
Uma história de um grande amor

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest

1 2 3 4 5