CARNAVAL E CANALHICE

Eu vinha escrevendo sobre as letras do novo CD da Aerocirco – Invisivelmente, mas resolvi voltar um pouco no tempo e falar sobre CARNAVAL E CANALHICE, música que compus com Jason Judson, baixista da Aerocirco na época que estávamos compondo pro CD Liquidificador. Esta letra escrevi quando surgiu o mensalão, vocês devem lembrar, aquele esquema de repasse de dinheiro para os deputados votarem a favor dos projetos de leis do governo.

Existe uma pessoa que foi muito citada na época e considerada pelo Ministério Público como o chefe do mensalão. Esta pessoa se chama José Dirceu, era um deputado e foi cassado na época.

Agora eu lendo a letra me parece que tudo se repete, pois a Dilma quer ser eleita, faz de conta que não sabe de nada a ponto de colocar este figura José Dirceu trabalhando na sua campanha, diz nas suas entrevistas que não sabe quem vai trabalhar com ela no seu governo, mas…vocês acham mesmo que esse José Dirceu, cassado no passado, trabalha nessa campanha sem levar nada depois? Vocês acham que Dilma, Lula e toda sua turma não prometeram nenhum cargo pra ele? Acham que eles não sabem de nada mesmo e que são sérios?

A coisa vai muito mais além, ela me parece um fantoche na mão do Lula, falando e fazendo tudo que ele manda, já que ele não pode se candidatar pela terceira vez, foi a forma que ele arrumou de ficar no cargo por mais 4 anos e já começaram com mais falcatruas como se vê ai na quebra de sigilo na Receita Federal!

É…parece que essa letra foi feita ontem!
Vamos a letra e votem consciente!

CARNAVAL E CANALHICE
Letra: Fábio Della
Música: Fábio Della e Jason Judson

Não vê ninguém, não pode fazer nada
E ficam sob as barbas de quem?
Um vôo cego em meio à palhaças
É um palhaço mudo e sem lei

Inconsequente pensa ser quem
O seu discurso que era do bem
Jogou com a sorte de quem não tem nada
E a vida segue esperando alguém

Carnaval e Canalhice

Mais uma vez lá vem o blá, blá, blá
Começa o carnaval outra vez
Muito prazer e muito o que calar
Pra não vazar e ninguém saber

Como quiser eu danço e canto
Sou como um tubarão tão branco
Finge de morto e diz não saber nada
Como um tosco enrosco outra vez

Carnaval e Canalhice

Share : facebooktwittergoogle plus
pinterest